Minicursos PDF Print E-mail
Written by Administrator   
Friday, 09 March 2012 14:21

Atenção

Os minicursos acontecerão nos dias 28 e 29 de Março (quarta e quinta), a partir das 18:00 horas, nos Blocos A e B (pavilhões de aula próximos ao Rio e Restaurante universitário) do básico.

Confira no mapa

IMPORTANTE: A COMISSÃO ORGANIZADORA SOLICITA AOS INSCRITOS, QUE APRESENTEM O COMPROVANTE DE DEPÓSITO/TRANSFERÊNCIA NO MOMENTO DO CREDENCIAMENTO.


MINICURSOS

1) FUENTES ORALES, INTERDISCIPLINARIDAD E EXPERIENCIAS DE INVESTIGACIÓN

Dra. Xiomara Pamela Rodríguez Neira (Venezuela)

Fábio Castro (Colômbia).


2) “O DIZER E O OUVIR” EM ENTREVISTAS DE HISTÓRIA ORAL

Dra. Carla Monteiro (Universidade Federal de Roraima)

“Desculpe, mas por que as pessoas falam comigo?” Esta questão lançada por Alessandro Portelli, no texto “A lógica das narrativas e a aprendizagem da diferença na pesquisa de campo”, é ponto de partida para as discussões aqui propostas. Tomando como base as reflexões trazidas pelo texto, que abrangem a ética, a técnica e, sobretudo, a relação sensível que se estabelece entre entrevistador e entrevistado no ato da entrevista, nos propomos a problematizar os diversos aspectos que revestem contextos, situações e posições que condicionam a composição da narrativa, o dizer e o ouvir, discutindo a relação narrador/ouvinte e o papel do pesquisador.


3) ETNOGRAFIA E HISTÓRIA ORAL

Dr. José Guilherme Fernandes (Faculdade de Letras - UFPA)

Dr. Flávio Leonel Abreu da Silveira (Faculdade de Ciências Sociais - UFPA)

O objetivo do curso é apresentar e discutir conceitos-chave, e suas aplicações em campo, que envolvam tanto o método etnográfico quanto a história oral, e suas interrelações, considerando as questões relativas ao contato entre pesquisador e narrador no trabalho de campo. Para a reflexão que propomos serão basilares os conceitos de (inter)subjetividade, memória, narração e narrativa, discurso, paisagem e identificação.

 

4) MEMÓRIA, NARRATIVA E FONTES ORAIS

Ms. Airton dos Reis Pereira (doutorando UFPE, professor da UEPA)

Ms. Elias Diniz Sacramento (Faculdade de História - UFPA)

Ms. Moises Pereira da Silva (Seduc-PA)

O propósito deste minicurso é possibilitar discussões em torno das relações entre memória, narrativa e fontes orais a partir de experiências de pesquisa e de escrita com o uso da história oral. Destaque especial será dado à problematização das condições de produção de fontes orais e a fabricação da narrativa escrita com o uso de relatos orais. O minicurso será ministrado em dois módulos por meio de aulas expositivas e dialogadas, mediadas por experiências de pesquisa e de escrita dos ministrantes com o uso da metodologia de história oral.

 

5) OS ESTUDOS CULTURAIS E O USO DE FONTES ORAIS: NAS INTERFACES DA HISTÓRIA E LITERATURA

Dr. Agenor Sarraf Pacheco (Instituto de Ciências da Arte - UFPA)

Jaime Cuéllar Velarde (SEDUC, mestrando UNAMA)

Marcos Valério Reis (mestrando UNAMA)

Os Estudos Culturais como campo teórico interdisciplinar e a História Oral como campo metodológico, vem estabelecendo grandes parcerias na problematização, compreensão e reconstituição de realidades históricas, políticas e socioculturais. Neste minicurso, a partir da compreensão que a História Oral é muito mais do que uma metodologia de captura de dados, mas uma possibilidade de análise e interpretação de determinado fragmento da realidade, autores como Glissant, Hall, Pacheco, Portelli, Sarlo, Thompson e Thomson, dentre outros, darão os nortes para as discussões. Estes autores têm produzido reflexões no sentido de constituir, junto com a História, Literatura, Sociologia e Antropologia diálogos com a História Oral para dar conta de problemas e complexidades tão típicos da contemporaneidade. Assim, de posse destas propostas teórico-metodológicas e por meio de narrativas orais brotaram análises cujos resultados serão socializados junto aos participantes. 

 

6) ORALIDADES URBANAS: O USO DA HISTÓRIA ORAL NAS PESQUISAS DE CULTURA POPULAR

Ms. Tony Leão da Costa (doutorando UFRJ, professor Seduc)

Ms. José do Espirito Santo Dias Junior (doutorando PUC-SP, professor UFPA)

Desde a década de sessenta do século XX os relatos orais ganharam notoriedade enquanto fontes históricas merecedoras de credibilidade. Seu uso metodológico trouxe a tona novas temáticas, dando acesso as “histórias dentro da história”. Consideramos a importância da História Oral na contemporaneidade, enquanto campo promissor de pesquisa, para elaborar este minicurso que tem como principal objetivo apresentar e discutir as possibilidades de pesquisa no campo da História cultural, a partir do uso de fontes orais. Tomando como parâmetro as oralidades urbanas e os diferentes níveis de sociabilidades presentes em “ambientes populares” - como associações de bairros, condomínios, entidades religiosas, sindicatos, agremiações carnavalescas, grupos folclóricos, etc. - faremos um breve debate historiográfico acerca da memória, fontes orais, narrativas e cultura popular, a fim de elucidar os procedimentos metodológicos que devem ser utilizados em pesquisas desta natureza.

 

7) HISTÓRIA, NATUREZA, CULTURA E ORALIDADE

Dr. Eurípedes Funes (UFCE)

Dra. Temis Parente (UFTO)

Dr. Marcos Montysuma (UFSC)

No minicurso aprofundaremos o  estudo das relações entre o homem e seu ambiente, na perspectiva da história ambiental, um novo campo que vem se firmando na produção historiográfica brasileira nos últimos tempos. Trata-se de refletir a relação entre natureza e cultura, em suas múltiplas possibilidades. Neste sentido as temáticas e objetos de investigação são de possibilidades amplas, passando pelo processo de ocupação e exploração e transformação do meio ambiente e os impactos ambientais, os movimentos sociais e as lutas pelo direito aos bens da natureza em seus mais diferentes biomas. Debates sobre o desenvolvimento sustentável, o agronegócio, espaços de trabalho, ambiente fabril, moradia, memórias, entre tantos outros. As fontes para os estudos no campo da história ambiental são as mais diversas. Aqui nos interessam as comunicações que trazem como fontes fundamentais narrativas, depoimentos, memórias de sujeitos que vivenciaram experiências onde natureza e cultura se entrecruzam.


8) HISTÓRIA ORAL E HISTÓRIA DAS CIDADES: POSSIBILIDADES TEÓRICO-METODOLÓGICAS

Ms. Venize Rodrigues (UEPA)

Dr. Antonio Clarindo Barbosa de Souza (Universidade Federal Campina Grande-PB)

As cidades, mais que construções arquitetônicas, são também construções discursivas na medida em que os homens a inventam através de suas palavras e discursos. Se, por um lado, elas podem ser construídas através de seus escritores, jornalistas e autoridades públicas (documentos oficiais e textos literários e jornalísticos...), elas podem também ser verbalizadas nos relatos orais de memórias, transformados em fontes pelos historiadores e outros cientistas sociais. Este curso pretende tratar das formas de viver e conviver nas cidades. Detectar suas sensibilidades através das palavras, dos sons, das imagens, dos dizeres e fazeres que podem potencializar a investigação histórica. A discussão pretende contemplar as múltiplas formas de interlocução entre oralidade e cidade, indicando a história oral como metodologia profícua para os estudos sobre o Urbano.

 

9) NARRATIVAS, MEMÓRIAS E IDENTIDADES

Dr. Dernival Venâncio Ramos Júnior (Universidade Federal Tocantins)

Dra. Idelma Santiago da Silva (UFPA-Marabá)

Mestranda. Osnera Pinto da Silva (SEDUC)

Mestrando Vilmar Ferreira dos Santos (SEDUC)

O Minicurso abordará o trabalho de investigação que toma como enfoque as narrativas de experiências de vida e suas relações com as dinâmicas de identidades de sujeitos individuais e coletivos no contexto das relações de alteridade e conflito social na Amazônia Oriental brasileira. Desta forma, será privilegiado um debate que considera as narrativas orais como fontes de construção de saberes, memórias e identidades.


10) HISTÓRIA DO TEMPO PRESENTE – POLÍTICA – FONTES ORAIS.

Dra. Marieta de Moraes Ferreira (CPDOC-FGV)

Dra. Maria Paula Nascimento Araújo (Universidade Federal Rio de Janeiro)

Parte I: Título: Historia oral: velhos problemas novos desafios
Historia oral: estatuto, possibilidades e limites: construir fontes ou dever de memória?
Historia oral: identidades e tempo presente.
Políticas de construção de acervos e organização de banco de depoimentos.

Parte II: Testemunho, memória e política
Discutir o papel do testemunho na superação de contextos de violência política; a
importância da memória no processo de transição democrática.

Temas a serem debatidos:
- como abordar o testemunho do sobrevivente?
- qual o estatuto histórico do depoimento?
- como trabalhar analiticamente a subjetividade dos depoimentos?
- contribuições da história oral para superação de conflitos (exemplos: África do Sul, Argentina, Brasil).

Last Updated on Tuesday, 27 March 2012 03:49